quinta-feira, janeiro 13, 2005

O Parto

Peco desculpa de so agora ter conseguido escrever sobre o assunto, mas ontem tropecei sem querer nos meus ficheiros medicos dos EUA e ao reler os apontamentos da enfermeira que assistiu ao parto, a minha cabeca regrediu ate esse dia. E mais vale aproveitar que estou em onda de escrever.

Para quem so agora chegou ao blog ou para os que querem relembrar como foi a gravidez sigam estes links:

A Primeira Gravidez (Part I)
A Primeira Gravidez (Part II)
A Primeira Gravidez (Part III)
(Capitulo final)

No dia marcado para a inducao, apresentei-me no consultorio medico as 8:30 da manha. Depois de verificar que nao tinha havido qualquer progresso na ultima semana o medico decidiu aplicar 25mg de Cytotec (por volta das 9:00) e depois mandou-me para casa e voltar ao consultorio as 1:30 pm. O J. deixou-me em casa e foi para as aulas. La fiquei em casa a espera. O tempo foi passando e eu nao sentia nada, comecei a pensar se estaria tudo bem. Sera que o Cytotec nao esta a fazer efeito?!?!?! O que e que se passa. O J. Voltou das aulas a 1:00pm e eu na mesma.

A 1:30pm conforme ordem expressa do medico, voltei ao consultorio para ver qual tinha sido a evolucao. Para meu espanto o medico disse que a dilatacao estava a acontecer mas muito devagarinho e que eu ja estava com contracoes. Fiquei preocupada porque na verdade nao estava a sentir dores, mas o medico mostrou-me como a barriga se punha dura e as contracoes ja estavam bastante seguidas. Para acelerar mais o processo ele decidiu aplicar mais 20mg de Cytotec e mandou-me para a Unidade de Partos do Hospital.

Fui admitida no Hospital as 2:00pm e ali fiquei a espera que as coisas evoluissem. Por volta das 4 horas umas amigas minhas foram la visitar-me e estivemos em amena cavaqueira ate as 5. As 5 o medico decidiu ligar-me a maquina de Ctg e rebentar-me as aguas, com um objecto que mais parecia uma agulha de crochet, para acelerar as coisas. Sairam litros de agua e ali continuei a espera.

As 6:00pm vieram mais uns amigos e nessa altura comecei a sentir algumas contracoes, mas ainda muito fracas. Os meus amigos (que eram homens) decidiram ir embora porque entretanto chegou o medico para me examinar (coisa que ele ou a enfermeira faziam a cada hora). Eu la andava de um lado para o outro a rir e a dizer-lhe que quase nao sentia dor e ele dizia que quando comecasse a sentir dores iriam ser realmente muito fortes e que nessa altura esperava que eu mantivesse a boa disposicao...entretanto comecaram a ouvir-se gritos na sala ao lado e ele disse-me que era outra paciente dele que tinha decidido nao levar epidural e para eu nao ligar muito aos gritos porque ela ia agora comecar a fazer forca. Fiquei assustadissima. Ouvi gritos de horror durante mais de meia hora, que depois devem ter constinuado porque foi entao que comecou a sair mais agua e as contracoes comecaram a ser realmente fortes.
Tentei aguentar-me, mas ate a enfermeira estava assustada com o nivel delas. Nao resisti muito ate pedir a epidural. Aplicaram-me a epidural e as coisas acalmaram. Passado uns 20 minutos comecei a sentir uma coisa muito estranha, metade do meu corpo estava adormecido e na outra parte continuava a sentir contracoes...a epidural tinha sido mal aplicada e o liquido tinha-se espalhado todo apenas do lado esquerdo...la me deram um medicamento para as dores enquanto esperavam que o anestesista viesse dar-me mais uma dose de epidural. Fiquei num estado meio adormecido durante horas. Pouco me lembro. O medico voltava de vez em quando para ver se estava tudo bem, mas fora isso eu dormia...nao sei bem o que me deram para as dores.
Ficamos nisto ate as 22:00, altura em que o medico decidiu dar-me Pitocin para acelerar a dilatacao. As 23:10 a dilatacao estava completa.
As 23:15 o medico disse-me que a bebe estava em stress e que provavelmente teria de recorrer a cesariana. Eu disse-lhe que queria tentar sem cesariana. Andamos a procura de uma posicao em que a bebe reagisse bem e aparentemente virada para o lado esquerdo foi a unica que a conseguiu acalmar. O medico disse-me entao que eu tinha 30 minutos para fazer forca e faze-la nascer ou ele teria de fazer cesariana. Eu concordei. So havia um problema e que eu continuava a sentir o lado esquerdo do meu corpo e como tal nao conseguia sequer levantar a perna esquerda. Solucao, o J., o meu supermaridinho foi para o outro lado, ou seja, lado a lado com o Medico e teve de segurar a minha perna esquerda para eu fazer forca. Assim o J. assistiu a tudo na primeira linha (ate me causa arrepios so de pensar o que ele viu...tudo...) e portou-se muito bem. Ajudava-me dizendo para fazer mais forca e que ja se via a cabeca, so mais um bocadinho que ja se via o nariz, enfim estao a ver o filme, nao e...o medico com o seu ar descontraido la ia dizendo quando e que eu devia fazer forca e nos 'intervalos' ia olhando para a televisao e tentando distrair-me com uma porcaria qualquer que estava a dar (sim porque o meu quarto de parto era como um quarto de hotel com tv video e tudo, um luxo).
Adorei o medico porque tinhamos muito a vontade um com o outro e ele tentava distrair-me com tudo. Quando viu a cabeca da bebe disse: ' She is blond!' Ao que eu respondi: ' What???' e quando a M. nasceu as 23:45 ele passou-ma para as maos e disse:'There you have your little boy!!!' e ria. Claro que foi a primeira coisa que fui confirmar e era mesmo uma menina.
Em determinada altura ele teve que fazer episiotomia, mas sinceramente nao senti nada. Ele so me perguntou se autorizava e eu disse que sim.

E foi assim.

A M. nasceu no dia 4 de Novembro de 2002 as 23:45 com 3.219 kg e um apgar de 9 (em 10).

Comentario: apesar do problema que tive com a epidural que foi mal aplicada, a forma como correu todo o parto foi bastante boa. Acho que a grande diferenca que posso apontar relativamente ao tratamento que e dado em Portugal (que conheco nao por experiencia propria mas por historias de outras pessoas) e que e dado a mulher o poder de escolha. O medico pede sempre o consentimento da mulher (que no caso dos EUA tb e um exagero porque por tudo fazem assinar uma autorizacao)para usar determinados procedimentos. Acredito que se fosse em Portugal nao me dariam os 30 minutos para fazer forca antes de seguirem para cesariana. Na verdade fiquei satisfeita tanto com o medico como com as enfemeiras e mesmo o pos-parto foi bastante mais facil com todo o apoio que me deram no Hospital.

2 Comments:

Blogger Ana Rangel said...

Ó Lua... tu podes não acreditar, mas estou para aqui lavada em lágrimas... é tão bonita a tua história! :)

Adorei a postura do médico, acho que deve ter sido engraçado (quem sabe, até relaxante) o facto de ele brincar com o sexo do bebé e com o "ser loira"... espero ter essa sorte! ;)
O teu J. é um grande homem... a grande maioria dos casos que eu ouço falar, os homens até chegam a desmaiar... :P

Beijinhos para os quatro do outro lado do Atlântico!

1:35 da tarde  
Blogger Lipa said...

Olá :) Bem-vinda de volta..já tinhamos saudades de saber novidades vossas :) Obrigada por teres partilhado a tua história de parto o meu será em breve e leio tudo na esperança de estar preparada para o que tenho de passar ;) Que história linda e ainda bem que correu tudo bem...esse médico parece ser um simpático :)))é bom ter uma pessoa assim do outro lado num momento tão especial. Como tá a tua barriguita? já escolheram o nome da mana da M.? Será que vem lá outra "blond"? ehheheeh. beijocas

3:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home